PICO 3-8 outº 2018 30º Colóquio da Lusofonia AICL

local AUDITÓRIO MUNICIPAL                                                                    visitante page visitor counter  
ficha inscrição VOOS VIAGENS LISTA de Oradores  a magia do Pico (vídeos)
temas HOTEL LISTA DE PARTICIPANTES SÉRIE AMO O PICO (vídeos)
comissões REFEIÇÕES horário CONTEÚDO DO DVD DE ATAS
instr. publicação Reserva dormidas PROGRAMA (E SINOPSES)  
PATRONOS reservas refeições Rota Cultural  e Livros AICL HISTORIAL
DISPENSA SERVIÇO RESERVA TRANSFER meteo ser sócio AICL

HOMENAGEADA AICL 2018: ANA PAULA ANDRADE

 convidados especiais (*)

·          Ana Paula Andrade, Conservatório R Ponta Delgada,  S  Miguel *

·           Álamo Oliveira, escritor, Terceira

·          Bruno Rosa, cantautor, Pico

·          Dom Carlos Filipe Ximenes Belo, Prémio Nobel da Paz 1996 *

·          Eduardo Bettencourt Pinto, escritor, Angola, Açores, Canadá  *

·          Francisco Rosas, realizador cinema, Palco de Ilusões, Portugal / Açores *

·          Frederico Cardigos, biólogo, coordenador do Gabinete dos Açores em Bruxelas *

·          Helena Castro Ferreira, soprano, Conservatório de Ponta Delgada, Univ de Aveiro *

·         Joaquim Feliciano da Costa, EMPDS Belmonte

·          Joel Neto, escritor, Terceira *

·          José Andrade, Chefe de Gabinete da Câmara M de Ponta Delgada *

·          Manuel da Costa Jnr, Diretor Museu dos Baleeiros, Pico *

·          Manuel Tomaz, escritor, Pico *

·          Sérgio Ávila, biólogo, Universidade dos Açores, Pico *

·          Sérgio Rezendes, historiador, IHC – Instituto de História Contemporânea, S Miguel *

·          Terry Costa, diretor artístico, MiratecArts, Pico *

·          Urbano Bettencourt, escritor, Pico

·          Victor Rui Dores, escritor, Graciosa *

 

 .. nas asas desse sonho a que chamam Lusofonia. Na definição cabem todos quantos falam, escrevem e trabalham a língua, independentemente da cor, credo, religião ou nacionalidade. Lusófonos são todos, quantos, falando a língua de Camões, sentem que algo têm em comum, de idêntico, mas também de diferente dos que habitualmente falam outra língua e com ela se identificam. Esta definição será sempre um diálogo na secular língua, incluindo o conjunto dos países de língua oficial portuguesa e suas correspondentes identidades culturais, bem como todas as Regiões em que é utilizada como língua materna ou de património e abarcando todos os que trabalham como sua a Língua Portuguesa...

 

 

contactos